3.22.2008

Dedo médio em pé, o resto da vida deitado.

"Eu Não Tinha Pais.
Eu Adotei o Céu e a Terra Como Meus Pais.
Eu Não Tinha Casa.
Eu Adotei Estar Consciente Como Minha Casa.
Pra Mim Não Existia Vida e Morte.
Eu Adotei A Respiração Como Vida e Morte.
Eu Nao Possuia Meios.
Eu Adotei a Compreensão Como Meu Meio.
Eu Não Possuia Habilidades Especiais.
Eu Adotei a Moral Como Minha Habilidade Especial.
Eu Não Possuia Olhos.
Eu Adotei Ser Rápido Como a Luz Como Meus Olhos.
Eu Não Possuia Ouvidos.
Eu Adotei a Sensibilidade Como Meu Ouvido.
Eu Não Possuia Membros.
Eu Adotei a Agilidade Como Meus Membros.
Eu Não Possuia Estratégias.
Eu Adotei Não Desvanecer De Pensamento Como Minha Estratégia.
Eu Não Possuia Projetos.
Eu Adotei Prever Oportunidades Como Meu Projeto.
Eu Não Possuia Principios.
Eu Adotei Me Adaptar Às Situações Como Meu Principio.
Eu Não Tinha Amigos.
Eu Adotei Meu Coração Como Meu Amigo.
Eu Não Possuia Talentos.
Eu Adotei Ser Persistente Como Meu Talento.
Eu Não Possuia Inimigos.
Eu Adotei a Imprudência Como Minha Inimiga.
Pra Mim Não Existia Milagres.
Eu Adotei Levar a Vida Corretamente Como Milagre.
Eu Não Possuia Corpo.
Eu Adotei a Paciência Como Meu Corpo.
Eu Não Possuia Armadura.
Eu Adotei a Compaixão e a Solidão Como Minha Armadura.
Eu Não Era Iluminado.
Eu Adotei a Determinação Como Minha Iluminação.
Eu Não Possuia Espada.
Eu Adotei a Ausência De Ego Como Minha Espada."

***

Sim, eu me fui pra Curitiba. Joinha, né? Em partes. Infelizmente eu tive que abandonar o meu blog por causa disso... e ele continuará abandonado por algum tempo. Coisa pra postar eu tenho, só falta aquele negócio chamado "internet".

Como se não bastasse, vai ficar ruim postar desenhos junto com os textos. O que me consola é que, de acordo com as estatísticas, ninguem dava muita bola pros desenhos... hohohoh.

Bem, vamos à algumas conjecturações: as postagens vão demorar mais pra sair, mas vão sair. Sem desenhos.

O poema acima foi extraído das últimas páginas do manhwa "Chonchu - O Guerreiro Maldito" (finalmente conseguí completar minha coleção). O autor de Chonchu, por sua vez, o extraiu de um poema escrito por um samurai do século XV - a autoria é um tanto incerta. Dizem que a interpretação desse poema é o verdadeiro sentido da vida, e que por isso você deve lê-lo mais vezes. É óbvio que eu estou usando desse argumento para que você acesse mais o meu blog.

E, por fim, gostaria apenas de filosofar um pouco. Afinal, foi pra isso que eu criei esse espacinho na interneta. Morando em Curitiba eu me sinto um tanto feliz. Minha mãe perguntou se eu não sentia medo ou coisa do tipo, e eu me dei conta que, além da saudade, a sensação que eu tinha era a mesma do exato momento em que a pessoa abre um presente - uma espécie de excitação, felicidade causada pela surpresa.

Porém, quando voltei pra Erechim pra passar a páscoa nesse final de semana, eu sentí uma mudança brusca no ar daqui. Não que ele tenha mudado: quem mudou fui eu. Eu sentí um silêncio (a minha casa é um pouco afastada do centro) tão bom que eu tive vontade de permanecer por horas nesse silêncio, sem fazer nada, sem pensar nada. É um silêncio que não existe lá, é o que tem de mais precioso aqui. E as pessoas desperdiçam esse silêncio. Preferem trocá-lo por uma televisão ligada ou por um pagodão. Triste, não?

Por isso eu espero que esse lugar não mude nunca. Que ele guarde pra sí o silêncio. "Se as palavras são de ouro, o silêncio é de diamante". O que as pessoas procuram, pelo que elas lutam, por que elas sofrem, o silêncio pode responder isso. E pode responder melhor que o seu psicólogo.

Ah, obrigado por continuar acessando esse blog. Isso me deixa feliz. Me faz sorrir a ponto de exibir os caninos.

2 comentários:

Bianca Rie disse...

Eu dava atenção pros desenhos :'(

"Se as palavras são de ouro, o silêncio é de diamante"

Boa frase pra se usar...E atualize o blog sempre que tiver tempo, porque eu visito esse blog ò.Ó

any ' where disse...

Ai boli!
o que eu mais gostava era dos desenhos ué!
mentira ;~
eu gosto de tudo!
+D
que bom que voce voltou ao blog

Beijo!
AMO