6.03.2008

Enciclopédia do Capeta

Sempre quis escrever uma enciclopédia. Na quarta série do ensino fundamental eu me destaquei do resto da turma por que escrevi um livro sozinho pra apresentar como projeto de ciencias. Escrevi uma espécie de enciclopédia. Foi bacana, pena que ninguem entendeu minha letra.

Como eu tenho muita mer... coisa pra postar, vou reunir tudo numa grande enciclopédia cheia de bizarrices, fatos do cotidiano e verbetes de significado obscuro e teor duvidoso.

É claro que eu não vou ter saco pra colocar esse petardo em ordem alfabética.


Dentas

Muitos humanos têm o costume de, quando um dente cai, colocá-lo embaixo de um travesseiro, para que no outro dia a “Fada do Dente” apareça e o troque por moedas de ouro. No pólo norte é diferente. Lá os esquimós recebem moedas por cada dedo endurecido que perdem devido ao frio intenso.

Austrália

Meu pai contou-me que, certa vez, na Austrália, um homem pegou uma daquelas jarras de vidro com tampa de plástico que têm o cabo acoplado na tampa. Quando ele ergueu a jarra, a tampa se soltou e a jarra caiu no chão, quebrando-se em um milhão de cacos e o australiano ficou com a tampa na mão.


Saara

Uma vez certa pessoa me disse que quando chove “é por que Deus está triste e derramando suas lágrimas na terra”. Penso então que Deus deve sentir uma felicidade incomum quando vai para o Saara.

Rélpis

O que é ser uma pessoa "rélpis"? Eis aqui um primor da intelectualidade marginal que semeia os campos televisivos e internéticos (vide verbete "internétas" mais adiante). Para começar, precisamos enquadrar "rélpis" num contexto:

"Você, meu amigo, é uma pessoa RÉLPIS".

Logo de cara conseguimos perceber que Rélpis não passa de um adjetivo qualificativo. O que nos resta descobrir é a raiz da palavra. Para isso, vamos desmembrá-la em seus componentes:

Rél <- Radical
Pi <- Sufixo
S <- Particula pluralizadora

"Rél" vem do ingles "Hell". Isso é facil de perceber por causa da fonética. "Pi" é a constante grega que equivale à circunferencia de um circulo qualquer dividida pelo diâmetro do mesmo. E a presença do "s" indica que a palavra está no plural!

Conclusão: "Rélpis" não é uma marca de refrigerante.

Árvores

Somos nozes.

Tia do Churros

Tinha uma lanchonéta (vide verbete "lanchonépta" mais adiante) lá em Erechim cujo nome era "Casa do Krep's". Os lanches lá eram muito bons, serviam sanduichões prensados que fariam um McLanche Feliz se sentir a síntese do nada. A Casa do Krep's tinha uma pequena filial: tratava-se de um carrinho que fazia churros que ficava mais à esquina, á uma quadra da lanchonete em sí. A mulher que comandava o carrinho era amiga da minha mãe. Minha mãe deu um apelido ao carrinho de churros: "Carrocinha do Churros".

Hoje o local onde antes era a Casa do Krep's é ocupada por uma video-locadora. Primeiro sumiu a carrocinha, depois vieram as denúncias e até hoje as testemunhas dizem que a polícia cercou o quarteirão e arrombou a porta da Casa do Krep's, achando em seu interior uma máquina de imprimir dinheiro falso e um pássaro dodô empalhado.

Metáfora

George costumava ser muito metafórico. Ele sempre falava usando expressões poéticas difíceis. Para ele, o natal era uma árvore alta e brilhante.

Gaita de Foles

Ah, o velho Adamastor. Ta bom, não tão velho. Mas mesmo assim, velho. O cara era veterano: lutou na Guerra do Vietnã, ao lado dos Ianques. Não por que gostava dos Ianques, mas por que sentia uma atração inexplicável pela guerra. E como a única língua estrangeira que conhecia era o inglês, acabou se alistando no exército americano. Quando ele voltou da guerra, não conseguia explicar como sobrevivera. Tudo o que ele dizia era “Ah, tinha um barulhão danado e eu tava o tempo inteiro com a cara no chão...”.

Mas além do fato de ele ter participado da guerra, uma outra característica fazia Adamastor ser muito conhecido nas redondezas: sua velha e fiel gaita de foles. Não era uma gaita de foles qualquer. Era uma original escocesa, com a bolsa xadrez e com a cabeça empalhada de um bode presa na parte frontal. Uma verdadeira relíquia, e Adamastor era fascinado por ela. Não rezava para Deus, mas sim para sua gaita de foles. E que som divino ela produzia! Praticamente uma melodia entoada por seres celestiais.

Como era de se esperar então, o velho Adamastor passava o dia inteiro tocando a gaita de foles. Acordava e a primeira coisa que fazia era tocar a sua gaita de foles. Antes de almoçar ele tocava um pouco da gaita de foles. Depois de almoçar ele passava a tarde tocando a gaita de foles. Antes de dormir ele tocava a gaita de foles. E se pudesse ele a tocaria dormindo. Adamastor já havia feito versões de várias musicas para gaita de foles. Ele tocava a nona sinfonia do Beethoven inteirinha. Sabia tocar também a Smoke On The Water e a Marcha Nupcial.

É claro que a vida não poderia ser esse paraíso para Adamastor. Os vizinhos já estavam de saco cheio de ouvir o som da maldita gaita de foles o dia inteiro. Não agüentavam mais acordar com o som da gaita de foles do Adamastor. Muitos gritavam xingamentos pra ele, mas ele não ouvia por causa do magnífico som da gaita de foles. Todo mundo já acreditava que ele estava caducando, que não tinha mais cura, que não adiantava mais fazer nada. Mas cada dia que se passava o som da gaita de foles ia ficando cada vez mais insuportável.
Então decidiram chamar a polícia. A policia certamente iria dar um jeito naquela barulheira infernal. A policia iria chegar e resolver tudo. Muito simples e óbvio. E foi isso que fizeram. Assim que os homens da lei chegaram, logo perceberam o som da gaita de foles e nem precisaram perguntar em qual casa era o problema.

Adamastor recebeu os policiais com sua habitual simpatia. Convidou-os para entrar, serviu chá, biscoitos e pediu se eles queriam ouvi-lo tocar a gaita de foles. Os policiais, comovidos com a bondade do velhinho, deixaram. E Adamastor tirou uma bela sinfonia de sua gaita de foles original escocesa.

Os vizinhos estavam do lado de fora da casa, esperando que os tiras saíssem com Adamastor algemado, ou com a gaita de foles algemada, ou com Adamastor morto. Qual não foi a surpresa deles quando viram os policiais saindo, caminhando normalmente, sem Adamastor e sem gaita de foles. Caminharam e entraram de volta no carro, como se estivessem hipnotizados pelo som de algum anjo ou de alguma outra coisa que morasse no céu.

Internéta

Negócio suspeito. O relatório abaixo é um trecho extraído de uma janela de conversa por MSN que estava aberta no computador de um garoto que, no mesmo dia, foi encontrado morto na porta da frente da sua casa, com um tiro na testa e metade do cabelo raspado. O nome do garoto em questão foi substituído por um pseudônimo, a fim de proteger sua integridade. Já o nome utilizado pelo elemento com quem ele estava conversando foi preservado:

“Arquivo 1 (um):

Vítima: quem eh?

Senhor X: Calma. Eu te adicionei por que tenho um recado muito importante pra você, meu jovem.

Vítima: qualé cara? eu nem te conheço

Senhor X: Eu sei que você não me conhece, mas eu explicarei isso mais tarde. Estamos correndo contra o tempo, Vítima, e eu tenho que te ajudar.

Vítima: ta achando que eu sou um otário, é? fala logo quem eh!

Senhor X: Não há tempo para apresentações. Você precisa confiar em mim. Siga atentamente minhas instruções.

Vítima: olha, tu me adicionou, não disse teu nome e ainda por cima fica fazendo essa ceninha. não vo caí nessa

Senhor X: Por favor, preciso que confie em mim, eu só quero te ajudar. Rápido, vá ver se há uma limusine roxa na frente da sua casa.

Vítima: ta, grande merda, tem mesmo uma aí parada na frente. na boa cara, se tu não disser quem eh, eu te bloqueio

Senhor X: Eu sabia! Eles já começaram a agir! Tem alguém saindo da limusine agora?

Vítima: tem uns caras de terno saindo e... ah, já sei. é a laurinha da oitava série né?

Senhor X: Essa não! Rápido, você precisa sair daí. Confie em mim, Vítima, você tem que viver. Tem a ver com o Graal, então, por favor, tenha calma e saia dessa casa pela porta dos fundos, rápido!

Vítima: laurinha, se for tu mesmo pode para com essa merda

Senhor X: Rápido, saia da casa! Fuja dos homens de terno!

Vítima: jah volto, tocaram a campainha

Senhor X: Não atenda! Não atenda

Vítima parece estar offline.

Lanchonépta

(vide verbete "Tia do Churros")


Olha eu alí brincando de pirata

3 comentários:

Camila Rodrigues. disse...

Essa história sobre a Gaita de Foles me lembrou muito o livro " A Menina que Roubava Livros" que fala um pouco sobre quando o pai dela estava na Primeira Guerra Mundal e tocava acordeon.

Bom, só pra não dizer que eu leio todos os posts e nunca comento ^^"

. Miqueias Stacke disse...

Quanta cultura num único post! :D

. Miqueias Stacke disse...

eu quero a gaita do adamastor! *-*