10.18.2008

"Quem é o imbecil que anda pendurando roupa nos cordames?"

A saga de Venceslau - o pirata que nasceu sem perna

Parte 2

Numa manhã ensolarada de dezembro, o capitão Jimmy, após tomar sua gemada, subiu para o convés. Lá, como de costume, encontrou Venceslau segurando um gancho e mergulhando-o na água a fim de resgatar seu chapéu - cena clássica naquele navio.

A tripulação do "Cachorro Sarnento" (tal era o nome do navio de Jimmy) era composta por 38 homens. Dentre eles, os que se destacavam mais recebiam um apelido que remetia à principal característica física sua. O timoeiro era o "Manguaça", o contador de histórias do navio era chamado de "Coelhão", o responsável pela cozinha era o velho "Cebola" e, pesando 112 quilos, o contra-mestre era chamado de "Encarnação do Mal".

- Ei, rapaz! Largue esse gancho e suba no mastro pra ver se aquilo lá no fundo é terra ou eu começei a perder a visão do olho esquerdo de novo - berrou Jimmy para Venceslau, que, num susto, deixou o gancho cair na água.

Recobrando-se, Venceslau correu para o mastro e escalou a escada de cordas. Chegando lá, fez uma pose heróica ao colocar a mão aberta sobre os olhos e - pasmem - avistou uma faixa de terra. Sua emoção foi tanta que ele quase não percebeu que, antes da faixa de terra, um pequeno navio mercante seguia pelo mesmo rumo que o Cachorro Sarnento à frente.

"E agora", pensou Venceslau. "Eu falo pro capitão sobre a terra ou sobre o navio?". Passados alguns momentos de dúvida e pânico, o pirata desceu e foi falar com Jimmy:

- Capitão! Tem terra e um navio pela frente!

Os demais piratas que estavam pelo convés ouviram o barulho de um punho fechado chocando-se contra um rosto. Pararam para olhar: Venceslau estava caído, com o nariz sangrando enquanto Jimmy berrava:

- TE ENTERRA O NAVIO PELA FRENTE DO SEU CU! Fazendo piadinha com o capitão, é? Vai andar na prancha, pirata!

Todos conheciam as explosões repentinas de fúria do capitão, por isso Vencelau logo tratou de esclarecer a situação enquanto se arrastava pra longe. Passado o episódio, Jimmy pegou a luneta e parou para olhar o pequeno navio mercante do qual eles se aproximavam lentamente. A tripulação permaneceu em silêncio aguardando a decisão dele. Venceslau conseguiu estancar o sangue e agora só estava um pouco tonto. Baixou a cabeça, tentando se recobrar, e ouviu a voz de Jimmy:

- Preparem-se, homens! Vamos fazer uma abordagem, por que somos piratas e não sabemos fazer muita coisa além disso! Icem a bandeira preta! Há!

Um uivo de satisfação e vontade de brigar ecoou sobre as tábuas do convés, seguido do barulho dos passos de pessoas correndo para buscar seus sabres, apontar os canhões e treinar blasfêmias. Venceslau não sabia o que fazer. Nunca entrara numa briga antes. A ausência de uma perna sempre fez dele um exímio leitor - e não um brigão de rua. Tomando uma decisão rápida, desceu até o piso da artilharia e puxou um sabre.

Humberto, outro pirata novato, levantou a bandeira do bando: uma caveira sobre um fundo preto com um grosso sabre atravessando suas têmpora.

Voltando para o convés, Venceslau deparou-se com toda tripulação armada até os dentes e o navio mercante já posicionado ao lado do Cachorro Sarnento. Os canhões estavam armados e apontados para a proa do outro navio. Jimmy tomou a frente e gritou:

- ALTO LÁ, FILHOS DUMA ÉGUA! O QUE VOCÊS TÊM AÍ NESSA BANHEIRA QUE CHAMAM DE NAVIO?
- Ouro, comida e mulheres! - alguém gritou lá de dentro.
- YES!

Sem pensar duas vezes, todos os piratas saltaram para o outro navio, berrando, se mijando e atirando com os bacamartes...

Continua.

Dessa vez não tem nenhum diálogo (que eu lembre) para ser postado aqui. Apenas gostaria de comentar um fato bizarro: descobri que não posso beber Rum. A última coisa que aconteceu quando o fiz foi tirar a camiseta, amarrá-la na cabeça, pular na água da praia - que, por sinal, não chegava a bater nos meus joelhos, e começar a nadar na areia, rindo muito.

Isso de acordo com as testemunhas do local.

2 comentários:

Nayara Gonzalez disse...

como assim, não pode beber rum? que raio de capitão é esse? assim você nos abriga a fazer um motim.

Bianca Rie disse...

Vai um pouco de rum aí? [[