2.17.2009

"Tripulação, estamos passando por um local onde enterram plutônio. Não mergulhem nada com vida na água."

A Saga de Venceslau, o pirata que não tinha perna.

Parte 6

Alvoroço. Os indios todos ficaram putos e sairam, abandonando o ringue. Venceslau caiu de joelhos e ouviu a música tema de Rocky Balboa.


- Parabéns, jovem rapaz. - veio dizendo o velho cacique. - Meus bagos serem murchos, mas isso não importar de fato: sua vitória ter sido feliz e bem merecida. Mais tarde chefe adicionar você no orkut e marcar estrelinha de fã, mas, por hora, você dever ir passar uma noite no Plaza Resort com uma puta paga e dever tomar da gemada especial. Amanhã de manhã cacique falar com você novamente e dar a você de presente uma caixa de Ferrero Rocher, mas isso ser surpresa. Não dever contar para ninguém, cacique odiar quando estragam surpresas.

Dito isso, o chefe se afastou e Nuvem de Fumaça veio correndo abraçar o pirata:

- Johnny, você lutar com a força de uma capivara selvagem com uma cenoura enfiada no cu ao som de "Don't Stop me Now" do Queen.

- E você estve comigo esse tempo todo, chuchuzão. O que posso fazer pra lhe retribuir?

***

- E aí, marujo? Como ser sua noite?

- Hihihih

- Enfim, creio que você desejar picar a mula da nossa aldeia, e eu compreender. Para isso, cacique dar a você tudo o que precisar. Você merecer, apesar de ainda não ter se ligado que estar só de cuecas.

- É isso, velhão. Preciso de roupas.

- Cacique providenciar para você roupas de batalha sob medida indígenas. O que mais?

- Preciso de orientação, seu viado. Mudei a história dessa vila indígena e ainda não sei onde picas estou.

- Prestar atenção: você estar na aldeia de Xerem. Ao leste estar a clareira de floresta na qual o encontramos sendo molestado por lagartos (Venceslau até então não tinha conhecimento desse fato). Nossos índios especiais dizer que viram navio de turcos ancorado na praia ao norte. A praia de Foi-Não-Volta.

- Por que ela tem esse nome?

- Por que dos setenta índios especiais que eu mandei, só voltaram dois. Demos o nome para a praia hoje.

"É o meu navio", pensou imediatamente Venceslau. Porém, ele não tinha a mínima vontade de voltar para a embarcação: queria apenas explorar a ilha. Queria ser foda explorando a ilha.

- E nas outras direções, o que eu encontro?

- Ao sul ter a maior aldeia da ilha, a aldeia de Erechim. A oeste, ter apenas caos e destruição, e uma miniatura da estátua da liberdade que andar, falar francês e brilhar no escuro, mas com pilhas não incluídas.

Não tendo dúvidas de qual rumo tomar, Venceslau vestiu sua nova roupa e colocou a mochila nas costas. Após respirar fundo, seguiu para a saída oeste da cidade. Porém, Nuvem de Fumaça parou na frente do pirata e estendeu a ele um pequeno bilhete de papel:

- Pegar, homem-andorinha. Ser meu número do ICQ.

A CONTINUAÇÃO DA ODISSÉIA DE VENCESLAU NA ILHA

Venceslau andou por sete dias e sete noites. Suas pernas estavam doendo, seus braços estavam pesados e suas costas estavam suando, mas tudo que ele tinha visto até agora pelo caminho resumia-se apenas à um belíssima e bem preservada floresta tropical, com árvores de copas altas, animais sanguinários e chuvas torrenciais.

- Ah, perfeito. Aposto que fui claramente enganado pelo velho cacique - resmungou o pirata enquanto se sentava numa pedra - Pelo menos ele me deu uma bolsa de "utilidades", segundo ele mesmo. Deixe-me ver agora o conteúdo disso...

Vency puxou de dentro da mochila uma sacola especial. Abrindo-a, começou a ver os objetos que haivam dentro: um garfo, uma bandana de ginástica, um saca-rolhas, 3 metros de cabo de rede de internet, um desodorante roll-on, um relógio de parede e uma camisinha.

- Oh, mas que merda. Que utilidade isto pode ter para mim no meio dessa flor... - antes que pudesse terminar a frase, Venceslau sentiu um forte impacto nas costas e foi arremessado para frente. Tudo o que se passou pela sua cabeça, neste momento, foi a musica de encounter de Final Fantasy 7.

- Quem foi o viado? - exclamou o pirata, levatando-se e ainda com a música de batalha ecoando em sua cabeça. Mal terminou de falar e viu que uma diminuta criatura recolhia os objetos da sacola especial que ele deixara cair após o golpe.

A criatura - verde, medindo no máximo 80 centímetros de altura e com orelhas enormes e pontudas, percebeu o olhar de raiva do bucaneiro e começou a rir da cara dele.

- Solta já isso aí, coisa feia, ou serei obrigado a comer você!

- Hihihihih! Nhik nhik nhik nhik nhik!!!

Venceslau ficou ouvindo as palavras do escrotildo, buscando algum significado, e uma pedra atingiu sua cabeça.

- ALOCS! Pra quê me jogar pedra?

- Estois vós leso? Não perceberdes que não foi a minha pessoa? - respondeu a criatura, agora usando uma cartola e um monóculos.

Vencelsau olhou pra cima e comprovou: não foi a criatura. Uma chuva de meteoros estava caindo.

Continua...

Bolívar orgulhosamente apresenta um pequeno trecho de conversa dentro do carro de sua mãe.

Mãe: Vocês lembraram de pegar o filme pra devolver?

Eu e meu irmão: ...

Mãe: É incrível! Vocês dois ainda deixarão sua pobre mãe mais desmiolada que já está! Ora vejam só, se eu não lembro, ninguém tem capacidade de lembrar duma coisa simples como essa.

Eu e meu irmão: ...

Mãe: Se eu não dou comida pro cachorro, ele morre de fome, o desgraçado, por que vocês nunca lembram. Lavar a louça nem é pedir muito, e mesmo assim demoram um século...

Eu e meu irmão: ...

Mãe: Mas tá loco. E agora, vou voltar lá em casa pegar o filme ou devolvo amanhã e pago a multa? Eu não posso ficar gastando dinheiro assim, piazada. Comecem a lembrar disso... nossa, que roupa bonita aquela da vitrine. Branca, eu gosto assim, simples.

Frank: Nossa, olha. Um Fusca com aerofólio.

Eu: Huuaoahauuoa que engraçado.

6 comentários:

Larissa Lívia disse...

Hauhahaha *cai pra trás de tanto rir* comédia esse cacique! Ainda tem bom gosto musical, qq dia passo na aldeia dele pra pegar uns CDs emprestados! XD

Antonio Edison disse...

Nuss mó legal o blog. Tenho até vergonha do meu blog monofônico monológico agora.

Mais de trinta postagens... prometo ler todas assim que estiver ocioso novamente

falous

Malk disse...

putz, boli, adoro suas estórias, UhaSUHausHauSHauSHuahs, favoritei seu blog, gostei :3

Barbara disse...

euuu imaaaaginei a Joci falando akiilo tuudo! saduhusiahdiasdsadsa bjo Bole!

Deia disse...

ehueuhehue eu quero conhecer tua mãe!hueuheuhe
=DD

Steph disse...

Sem noção eu ter achado seu blog quando minha amiga procurou "chuchuzão" no Google Imagens...
Mas enfim, curti muito, e, cúmulo hiperbólico da ociosidade e falta do que fazer, li todas as postagens no mesmo dia. ^^